Quais as vantagens e desvantagens em emprestar um jogador de futebol

Todas as épocas de futebol ficam marcadas pelas transferências e empréstimos de jogadores que os clubes trocam entre si. O período mais indicado para estas ações é no início do campeonato de cada país e logo depois do Natal, quando abre o chamado mercado de inverno. Porém, o empréstimo de um atleta não acarreta apenas vantagens para o clube. Quando há um empréstimo de um jogador de futebol entre dois clubes, não é só a SAD que lucra (ou perde). Esta ação tem influência direta na vida pessoal e profissional de um atleta, no desempenho em campo de uma determinada equipa e no grau de favoritismo que normalmente é atribuído pela comunicação social e casas de apostas ao respetivo clube. Há benefício em emprestar um jogador a outra formação, mas existem igualmente desvantagens. Conheça as principais.

As principais vantagens do empréstimo de um jogador

1. O jogador tem mais oportunidades

Geralmente os clubes emprestam atletas que estão no banco e que raramente entram nos jogos oficiais. Assim, para o jogador o empréstimo representa uma oportunidade de voltar ao campo, de atuar nas partidas do campeonato e ter maior visibilidade profissional.

2. O clube ganha um atleta com bom nível competitivo

Muitas vezes, os jogadores emprestados fizeram parte da sua formação em clubes de topo, pelo que têm uma qualidade acima da média em relação aos restantes companheiros da nova equipa. A sua chegada vai permitir ao clube sonhar com melhores resultados e ter um atleta que desafia a equipa a fazer mais e melhor.

3. O facto de ser um bom negócio

Como os empréstimos costumam fazer-se entre clubes de grande dimensão que emprestam um dos seus jogadores a clubes mais pequenos, quem recebe o atleta fica a lucrar. Afinal, adquire um jogador profissional de topo a custo reduzido.

4. O jogador evita ser dispensado

Em muitos casos, se não existir o empréstimo o jogador corre o risco de ser dispensado da equipa, pois não faz parte do lote de convocados para os jogos da época. Assim mantém-se no ativo e ainda tem a oportunidade de jogar com regularidade.

5. O clube ganha notoriedade

Ao receber um atleta emprestado de um grande clube, como por exemplo do Manchester United, Chelsea, Barcelona ou outros, a formação vai ganhar notoriedade mediática e as outras equipas irão estar mais atentas ao desempenho desta formação. Muitas vezes, o bom desempenho do jogador emprestado permite-lhe regressar ao clube de origem e o clube que o acolheu fica a ganhar financeiramente.

As principais desvantagens do empréstimo de um jogador

1. A evolução do jogador pode ficar condicionada

Se o empréstimo decorre entre uma equipa que luta pelos primeiros lugares do campeonato e outra que luta pela manutenção e para evitar a descida de divisão, o jogador tem que readaptar os seus objetivos. Ou seja, tem que se adaptar a novas ambições e é difícil preparar-se numa equipa com motivações diferentes. Por vezes, tem dificuldade em seguir e regular a sua evolução, sendo que pode mesmo regredir quando ‘desce’ de equipa ou campeonato.

2. Pode gerar falta de motivação

Quem fez a formação numa equipa de topo, partilha os objetivos dessa formação. Ao ser emprestado pode encontrar-se num clube que não tenha os mesmos sonhos e sentir-se mais deprimido e desmotivado, pois tem que lutar por ideais diferentes.

3. O clube pode ter que participar no salário

Apesar de emprestado, a equipa que cede o jogador pode pedir ao novo clube para repartir o salário do atleta e ajudar a custear as suas despesas. Se é um atleta de um clube da primeira divisão é natural que o encargo financeiro para o da segunda divisão aumente substancialmente.

4. O facto de fazer parte de um plantel indefinido

Para o clube e treinadores que recebem jogadores emprestados torna-se difícil fazer a gestão do plantel. Os empréstimos costumam decorrer apenas durante uma época, pelo que tem que considerar sempre a hipótese de refazer o plantel praticamente todo na época seguinte. E isso condicionará os resultados da equipa a longo prazo.

5. A falta de carinho do público

Ao notar que o jogador não é ‘da casa’, o público pode não apoiar o atleta e até criticá-lo pela falta de empenho ou sempre que tenha um mau jogo. Ao diminuir o relacionamento e a sintonia entre jogador e público, o clube arrisca-se a perder adeptos.

6. A diferença competitiva

O jogador acaba por perder estabilidade e ritmo competitivo, sempre que integra equipas diferentes. O facto de ser emprestado (sobretudo se for uma constante) retira-lhe qualidade, pois nunca chega a estar verdadeiramente integrado num plantel e num ritmo de jogo/ competição específicos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: